Dermatopatias Alérgicas

23/11/2014

 

A palavra "alergia" foi criada em 1906 pelo médico pediatra austríaco Clemens von Pirquet para designar uma "reação diferente" que ele observou em alguns de seus pacientes após receber previamente injeções da vacina/soro contra varíola.

 

 

Esta observação clínica levou o médico a questionar uma possível interação entre o organismo humano e patógenos, lançando assim, a pedra fundamental da  alergologia moderna.

 

As doenças alérgicas estão entre mais as prevalentes no mundo, sendo até mesmo chamadas de "mal do século", acometendo não só ao homem como também aos nossos animais de estimação. Atualmente, as doenças alérgicas são as principais causas de visitas aos consultórios veterinários.

 

As dermatopatias alérgicas constituem um grupo de doenças de pele que causam uma resposta de hipersensibilidade, ou seja, uma reação do sistema imunológico do animal quando entra em contato com alguma substância que seu corpo identifica como não própria, disparando uma resposta inflamatória intensa na pele.

 

Atualmente são os problemas cutâneos que apresentam maior número de atendimentos dermatológicos, sendo sempre desencadeada nos primeiros anos de vida do animal, causado por uma infinidade de fatores ambientais e substâncias presentes nos alimentos, bem como por parasitos.

 

Os principais sintomas observados e relatados pelos proprietários são: coceira (prurido), vermelhidão em vários locais do corpo, lambedura de patas, além das infecções secundárias, desenvolvendo feridas, queda dos pelos e odor desagradável.

 

As dermatopatias alérgicas são divididas em três doenças, que representam também as causas das alergias. De maneira geral, a Dermatite Alérgica à Picadas de Ectoparasitas (DAPE) é a mais comum, seguida da Dermatite Atópica e da Hipersensibilidade Alimentar.

 

O segredo para o controle da dermatite alérgica é a identificação e controle das causas, o que normalmente se faz pela correta exclusão das doenças alérgicas mais comuns, além da realização de exames diagnósticos mais específicos, como a histopatologia da pele e testes alérgicos (dérmicos ou sorológicos) ou dieta de exclusão alimentar.

 

O primeiro passo para tratar seu animal alérgico é submetê-lo a uma consulta dermatológica, onde será avaliado clinicamente ou com exames complementares a sua causa alérgica, lembrando que pode ser um processo complexo que requer tempo e paciência.

 

Atualmente as dermatopatias alérgicas não tem uma cura definitiva, mas ela pode ser controlada. A recompensa de um controle bem sucedido é proporcionar uma vida mais confortável e saudável ao seu animal de estimação.

 

Mv. MSc. Raphael Rocha   CRMV-RJ 10436

Dermatológo Veterinário

 

Médico Veterinário  - Graduado pela Universidade Federal Fluminense - UFF/RJ.

Mestrado em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas – Instituto Nacional de Infectologia (INI) -Fiocruz/RJ.

Pós-graduado em Dermatologia Veterinária – Qualittas/UCB-RJ.

Facebook: Raphael Rocha - Dermatologia e Alergologia Veterinária

 

TEXTO ORIGINALMENTE PUBLICADO NO PORTAL NOSSA MATILHA www.nossamatilha.com.br

Please reload

Posts

Como explicar os cuidados e controles dos pacientes com Dermatopatias alérgicas (DA) aos seus proprietários?

February 1, 2016

1/3
Please reload

Posts Recentes

08/12/2015

Please reload

Arquivo
Please reload

Siga....
  • Facebook Basic Square
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now