Piodermites Bacterianas

As piodermites são infecções bacterianas da pele comuns na rotina dermatológica dos cães, sendo considerada uma condição infecciosa piogênica (produtora de pus), que ocorre em qualquer nível de profundidade cutânea.

 

O agente causador das piodermites é uma bactéria da espécie Staphylococcus pseudintermedius, oportunista, Gram-positiva e que faz parte da microbiota normal da pele do cão. Este agente infeccioso torna-se patogênico em condições que favoreçam sua superpopulação, como algum comprometimento da barreira cutânea ou falha na função imunológica do animal.

 

Os sinais clínicos apresentados podem variar com a localização e a profundidade da infecção, sendo os achados mais comuns, as pústulas, pápulas e colaretes epidérmicos. Outros sinais clínicos marcantes são a coceira, podendo variar de leve a moderada, além de perda de pelos e presença de secreção purulenta.

 

As piodermites recorrentes nos cães podem ser classificadas como: primárias, secundárias ou idiopáticas. As deficiências primárias estão relacionadas a problemas imunológicos que afetam exclusivamente a pele. Já as piodermites recorrentes secundárias são as formas mais comuns, sempre relacionadas a algum agravo subjacente, como as dermatopatias alérgicas. As piodermites idiopáticas apresentam caráter recidivante e crônico, onde não se consegue evidenciar a causa para ocorrência doença.

 

 

Os casos de piodermites recidivantes são observados com frequência na espécie canina, apesar do diagnóstico rápido e das inúmeras medidas terapêuticas adequadas. As causas mais comuns de recorrência, ou seja, reaparecimento da infecção em menos de 1 mês após seu tratamento, incluem tempo inadequado de antibioticoterapia ou resistência bacteriana. Nos casos de piodermites com recidivas dentro de um período de 2 ou 3 meses, é importante identificar e controlar a doença primária que afeta a integridade da pele.

 

O controle das piodermites bacterianas é realizado com uso de tratamentos tópicos, sistêmicos (orais ou injetáveis) ou pela associação de terapias sistêmicas e tópicas. O tipo e o tempo de duração do tratamento variam de acordo com a gravidade da doença infecciosa, além das causas predisponentes, lembrando que nas doenças crônicas, principalmente, o controle é mais difícil para evitar possíveis recidivas.

Portanto, a busca da origem da piodermite é uma medida fundamental para instituir um tratamento de sucesso.

 

 

TEXTO ORIGINALMETE PUBLICADO NA PÁGINA RABELO Rblvet

 

 

 

 

 

 

 

Mv. MSc. Raphael Rocha   CRMV-RJ 10436        

Dermatologia e Alergologia Veterinária

 

 

Facebook: Raphael Rocha - Dermatologia e Alergologia Veterinária

Please reload

Posts

Como explicar os cuidados e controles dos pacientes com Dermatopatias alérgicas (DA) aos seus proprietários?

February 1, 2016

1/3
Please reload

Posts Recentes

08/12/2015

Please reload

Arquivo
Please reload

Siga....
  • Facebook Basic Square
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now